Da redação

Na manhã de ontem, quinta-feira (25), o Setor de Investigações Gerais da Delegacia de Polícia Civil de Ribas do Rio Pardo (S.I.G) prendeu em flagrante um homem de 51 anos, suspeito de praticar os crimes de ameaça, injúria e posse irregular de arma de fogo.

Segundo apurado, por não aceitar o término de um relacionamento de 2 anos e 6 meses, o suspeito passou a proferir diversas ameaças de morte contra a vítima, dizendo que, caso ela não quisesse conversar com ele ou não reatar a relação, morreria. O suspeito disse, ainda, que mataria os filhos da vítima.

Em razão dessas ameaças, a vítima chegou a registrar boletim de ocorrência no dia 23/03/2021 junto à Delegacia da Mulher em Campo Grande. Mesmo após o registro do B.O., o suspeito continuou ligando para a vítima por diversas vezes, seja lhe perturbando, seja lhe proferindo ameaças e injúrias. Em um áudio de ontem, 24/03/2021, com 17 minutos e 16 segundos, o suspeito disse, em resumo, para a vítima tomar cuidado, pois seria questão de tempo para ela morrer. No áudio, ele confessa a posse de arma de fogo.

Contudo, o denunciado teve o alvará de soltura concedido pelo Juiz de Direito Idail de Toni Filho, que entendeu que a prisão preventiva não caberia no caso, tendo em vista que: “Não há clamor público acerca dos fatos, tampouco existem evidências de que o indiciado buscará obstar a aplicação da lei penal ou a prejudicar o desenvolvimento da instrução criminal”.

Cabe destacar que o denunciado foi preso em flagrante, em posse de arma de fogo e ameaçando a vítima, situação mais que suficiente para manter a prisão preventiva, conforme prevê o inciso III do Art. 313 do Código de Processo Penal. Não há duvidas de que o suposto agressor é uma ameaça real para a vítima, que terá sua vida e a vida de sua família postas em risco diante desta decisão.

Violência contra mulher:


O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou, em novembro do ano passado, que os canais Disque 100 e Ligue 180, do Governo Federal, registraram 105.821 denúncias de violência contra mulher. O dado corresponde a cerca de 12 denúncias por hora. Desse total, 72% (75.894 denúncias) se referem à violência doméstica e familiar contra a mulher, incluindo ação ou omissão que causem morte, lesão, sofrimento físico, abuso sexual ou psicológico. Ainda estão na lista danos morais ou patrimoniais.

*Por  O Sul Mato Grossense 

Veja também

Olá, deixe seu comentário para No mês da mulher, Juiz manda soltar homem que ameaça ex-namorada com arma de fogo, um dia após ser preso